quinta-feira, 21 de maio de 2015

Novo Hamburgo está quebrando tabus e preconceitos no futebol!

Roger Machado, Daniel Franco, Márcio Vitória. Edinho Rosa, Régis Macedo e Márcio Santos quebram tabu.
Foto montagem: Giovani Júnior/ECNH
Novo Hamburgo (RS) - Os juniores do Novo Hamburgo foram derrotados pelo placar de 4 a 0 pelo Grêmio na tarde desta quarta-feira, no Estádio do Vale, em partida válida pela 12ª rodada do Campeonato Gaúcho Sub-20. Com o resultado, o time anilado se manteve, com 19 pontos ganhos. No próximo domingo, os juniores do Noia viajam para Erechim, onde enfrentam o Ypiranga, às 15h, no Estádio Colosso da Lagoa. 

Nota do editor: Embora tenha ocorrido esta derrota e com goleada, o Novo Hamburgo tem uma boa equipe e está muito bem treinada pelo Edinho Rosa. Aliás, quero destacar os treinadores do Anilado. Acho que ninguém percebeu ainda que o clube está quebrando um tabu e mandando de uma vez o preconceito racial para o inferno! Busquei, pesquisei e não encontrei em nenhum clube do Brasil onde os treinadores das principais categorias de um clube de futebol sejam negros. Pois, em Novo Hamburgo, uma terra que foi explorada e emancipada por descendentes de alemães e num clube fundado por estes mesmos descendentes, os treinadores são negros. O técnico do time sub-15 Márcio Santos; equipe juvenil é treinada por Régis Macedo; comandante dos juniores é Edinho Rosa; técnico do time profissional no Gauchão foi um negro, Roger Machado. O auxiliar técnico permanente do clube é Daniel Franco, negro também. E o preparador físico do time principal, Márcio Vitória, é descendentes de negros. Por que vamos combinar, o futebol brasileiro está cheio de preconceitos com profissionais treinadores negros, não vamos aqui tapar 'o sol com a peneira'! Portanto, quero parabenizar o presidente Claudemir Dias da Costa e demais dirigentes por ter quebrado este preconceito dentro do futebol onde ainda hoje vivenciamos esta idiotice por parte de profissionais do futebol e também por torcedores! EM TEMPO: quero deixar claro aqui que o Novo Hamburgo jamais teve em sua história qualquer tipo de preconceito racial!