sexta-feira, 29 de maio de 2015

Proponho um COLEGIADO para ‘salvar’o Novo Hamburgo!

Esporte Clube Novo Hamburgo não pode morrer
Novo Hamburgo (RS) - A reunião na noite de ontem que deveria escolher o novo presidente do Conselho Deliberativo do Novo Hamburgo definiu que: o Noia não tem mais presidente do Conselho. Ninguém entre os 80 conselheiros aptos para assumir cargo quis se lançar como candidato e agora esse cargo está vago no clube. Pítia Bilhar, então presidente do Conselho, entregou o cargo. Fonte: João Linden/Jornal NH

Nota do editor: Alô amigos, sinceramente, estou muito preocupado com o futuro do Esporte Clube Novo Hamburgo. Qual será o destino do clube nos próximos meses e anos? Confesso que não sei. Acho que ninguém sabe, nem mesmo os conselheiros! Dos 80 conselheiros apenas 15 estiveram na reunião para escolher um novo presidente do Conselho. Se não é puro desinteresse deste pessoal, talvez seja uma forma de protesto. Temos que procurar entender o que está acontecendo. O presidente Claudemir Dias da Costa foi escolhido por muitos para assumir o cargo. E ele resistiu para colocar seu nome à disposição. Eu, inclusive, critiquei a escolha do Claudemir. Porém, naquele momento ninguém queria ‘pegar’. Então, saudamos o Claudemir. E ele foi deixado sozinho. Todos fugiram. Fugiram por quê? Alguns por mágoa, outros traídos! Mas não deveria ser assim. Está na hora então de alguém assumir. Uma das atribuições de um presidente do Conselho é buscar novos parceiros para o clube, novos integrantes para o conselho e não estar próximo do futebol, próximo de um ‘boleiro’, para quem sabe também sair na foto. Estou preocupado. Proponho que se faça um COLEGIADO. Proponho que sentam a mesa (e sem mágoa ou ranço) as seguintes pessoas e dêem um rumo ao Noia: Claudemir Dias da Costa, Rosalvo Johann, Luiz Valentim, Carlos Duarte, Nestor Dresch, Bruno Fehse, Pitia Bilhar, Rodrigo Kauer de Barros, Gelson Klein, Telmo Fleck, Everton Cury, José Juchem, Álvaro Scherer e Nestor Passarin. Fica a dica!