quarta-feira, 15 de julho de 2015

Preferir Copa Sul-Americana é 'complexo de vira-lata'!

Atacante Luan não conseguiu evitar derrota em casa para o Criciúma
Porto Alegre (RS) - O Grêmio foi derrotado pelo Criciúma, por 1 a 0, na noite desta terça-feira, na Arena. Com o resultado, o Tricolor gaúcho precisará vencer o Tigre na próxima semana em Santa Catarina por dois gols de diferença – ou por um, caso marque gol. A equipe de Roger Machado chegou a marcar com Pedro Rocha, mas a arbitragem anulou alegando impedimento. A partida de volta da terceira fase será na próxima terça-feira, às 21h, no estádio Heriberto Hülse, em Criciúma.

Nota do editor: Alô amigos! Antes do confronto com o Criciúma surgiram boatos de que os dirigentes do Grêmio poderia estar pensando em ser eliminados na Copa do Brasil para entrar na Sul-Americana em virtude de mais grana e mais visibilidade. Pois bem, quero dizer que não acredito que os dirigentes gremistas possam estar pensando desta forma. Os números frios mostram: a Copa Sul-Americana pode mesmo ser mais rentável que a Copa do Brasil. Mas colocando as contas no papel, a história é bem diferente. As contas não são tão complexas. Somando todas as fases, o campeão da Copa do Brasil coloca nos cofres mais de R$ 6 milhões. O campeão da Copa Sul-Americana embolsa perto deste valor. A esse valor, porém, ainda se soma mais R$ 1 milhão pela participação nas três primeiras fases da Copa do Brasil. O problema todo é quando esses números são transportados para a vida real: a logística da Copa Sul-Americana é muito mais difícil e custosa para os cofres de cada clube. Enquanto a CBF dá uma ajuda de custo simbólica, a Conmebol não arca com nenhum destes custos. Com todos os números no papel, a conclusão é de que ser campeão sul-americano não é tão bom assim, pelo menos em termos financeiros. Por tudo isso, acho que o Grêmio ainda quer a Copa do Brasil, ou deveria querer!