terça-feira, 1 de setembro de 2015

Tiro o chapéu para os dirigentes de Aimoré e Noia!

André Schu preside o Índio Capilé e Claudemir Dias da Costa comanda o Noia
Novo Hamburgo/São Leopoldo (RS) - A partir desta semana o presidente André Schu começa definir o futebol profissional do Aimoré para a disputa do Campeonato Gaúcho de 2016. Uma das decisões a serem tomadas pelo presidente é em torno do nome do treinador que comandará o Índio Capilé no ano quem vem. Já o Novo Hamburgo ainda precisa definir quem será o novo presidente do Conselho Deliberativo, e se o Claudemir Dias da Costa, atual presidente, irá ou não renunciar.

Nota do editor: Alô amigos! Para ser dirigente de futebol, ainda mais em clube do interior, tem que gostar muito. Afinal, dia a após dia tem que estar correndo atrás de dinheiro para pagar dívidas. O presidente André Schu tem todo um Gauchão pela frente, precisará se redobrar para não ultrapassar uma folha de R$ 200 mil por mês. Sem contar a cobrança dos torcedores e imprensa por resultados positivos. E ainda não pode passar nem perto da zona do rebaixamento. E o clube de São Leopoldo já adiantou cerca de R$ 500 mil da verba da TV do ano que vem. Será que o André Schu consegue dormir com tranqüilidade tendo este abacaxi para descascar? Não é muito diferente do outro lado do Rio dos Sinos, no Novo Hamburgo. De acordo com informações de bastidores o Noia tem uma dívida de aproximadamente R$ 1 milhão. Quem assumir este pepino terá que administrar esta dívida, contratar jogadores e quem sabe treinador, sem que a folha salarial seja mais de R$ 200 mil. Lembrando que o Novo Hamburgo também antecipou R$ 500 mil do Gauchão 2016. Claudemir me disse que está com problemas de saúde, e pode ter certeza que estes problemas aumentaram depois que ele sentou na cadeira de presidente do Noia. Sinceramente, se agir com a razão não se faz futebol no interior. Eu estou quase desistindo! Por isso, tiro o chapéu para estes dirigentes!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...