sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Federação Gaúcha de Futebol ‘brinca’ com os clubes do interior!

Nesta foto, estou entrevistando o presidente da FGF, Francisco Novelletto. Foto: Daniel Boucinhas
Porto Alegre (RS) - Uma reunião na tarde desta quinta-feira determinou uma nova mudança no regulamento da Super Copa Gaúcha, competição que encerra o ano e dá uma vaga ao campeão para a Série D e para a Recopa de 2016. Depois de anunciar que o torneio seria todo disputado no final de semana, em Lajeado, a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) voltou atrás e manteve a fórmula original: semifinais e finais em partidas de ida e volta. Os confrontos também foram sorteados: Cruzeiro x Lajeadense, União-FW x São José. O primeiro duelo será no feriado de 2 de novembro, e o segundo, na quinta-feira (5/11).

Nota do editor: Alô, amigos! Sinceramente, estou muito decepcionado com algumas atitudes e decisões do presidente da FGF, Francisco Novelletto. Concordo plenamente com várias pessoas que destacam que após a sua entrada na entidade a verba distribuída aos clubes do interior na disputa do Gauchão aumentou e muito. É verdade, isso não tem como negar! Mas, por outro lado, discordo de outras tantas decisões que prejudicam os clubes, principalmente do interior. Por exemplo: as taxas de arbitragem das competições deste segundo semestre deveriam ser bancadas pela FGF. Já são torneios deficitários e ainda os clubes precisam tirar de onde não tem pra pagar a arbitragem, daí fica realmente muito difícil! A última do Novelletto foi esta de escolher Lajeado como sede depois de ter um regulamento. Simplesmente decidiu e não consultou os clubes. Os dirigentes do União Frederiquense me disseram na quarta-feira quando estive lá que não aceitariam jogar após mudança da fórmula. E, 48 horas depois, eis que o homem forte do futebol gaúcho volta atrás e mantém o regulamento. Isso foi ridículo, convenhamos! A sensação que tenho é que às vezes a Federação Gaúcha de Futebol ‘brinca’ com os clubes do interior! Acho que está na hora dos clubes do interior acordar e não bater palmas pra todas as decisões do presidente Novelletto! Fica a dica.