sexta-feira, 16 de junho de 2017

O futebol, a vida e o jornalismo esportivo! Surge um gênio da bola!

Ronaldinho atropelou o Dunga neste Gre-Nal de 1999

PARTE V
(1999-2002)

Alô, amigos!

GRÊMIO X INTER - PARTE V (1999-2002) 

JUNHO DE 1999

Estávamos voltando de mais uma jornada esportiva pela Rádio Progresso. O jogo tinha sido no interior do estado, em Bagé. Eu, sinceramente não lembro de quanto o Novo Hamburgo perdeu. No Gol da rádio estavam: eu, o “seu” Ério Müller e o Milton, que conduzia o carro. Neste jogo, fui o narrador. Durante algum tempo eu insisti para narrar os jogos. Como a rádio estava sem narrador, eu me candidatei, e deu aparentemente deu certo. O “seu” Ério foi uma pessoas que mais deu força na época. Ele já dava apoio quando eu era repórter. 

"Na volta de Bagé nos escutávamos o Gre-Nal. Seria o terceiro e decisivo jogo. Ronaldinho Gaúcho estava surgindo para o futebol nesse ano. Desde cedo se anunciava Ronaldo de Assis Moreira como um grande jogador de futebol. Três anos antes, eu estava no Estádio Santa Rosa para transmissão de uma partida. Sentei ao lado do mestre Abílio dos Reis (já falecido), que descobriu tantos talentos, entre eles Falcão, e perguntei-lhe sobre a equipe do Novo Hamburgo: “Seu” Abílio, esse time terá algum jogador para o futuro? – questionei-o, como se estivesse de frente para um bruxo. E ele respondeu categoricamente: - Não, meu filho. – Então resolvi perguntar sobre o time do Grêmio. - E no time do Grêmio “seu” Abílio, teremos algum craque? - E fiquei olhando para onde ele olhava. E ele imediatamente apontou para o lado onde estava Ronaldinho dominando a bola e previu além do futuro, previu o presente. - Este, este daí. Ele já é um gênio. - Disse o mestre, observando e saboreando a jogada dele" 

Estas poucas palavras que eu troquei com o “seu” Abílio me valeram muito. Três anos depois a profecia já estava confirmada. Ronaldinho deu o título gaúcho deste ano para o Grêmio.  No jogo decisivo, que não lembra dos dribles que o craque deu em cima do capitão Dunga. Foi de humilhar. Ronaldinho não teve perdão. Ronaldinho não teve sequer, compaixão. Quase na linha lateral, Ronaldinho deu “chapeuzinho” no capitão. Não teve perdão para o Dunga. Foram duas vitórias consecutivas nas partidas finais, e Ronaldinho ajudou a quebrar um tabu de quase três anos sem vitória do Grêmio sobre o Inter. “Seu” Abílio fez a profecia em 1999 pra mim no velho e saudoso Santa Rosa e deu certo. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...