segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

À espera de um milagre?

Lamentavelmente o time do Noia deste ano é uma caricatura do que foi campeão em 2017.
Foto: Adilson Germann/JEA Comunicação


Alô, amigos!

Sinceramente, nem em meus piores sonhos via o time do meu coração, o Esporte Clube Novo Hamburgo, brigando para não cair em 2018. Incrivelmente, depois do título gaúcho do ano passado, o clube mergulhou numa decadência. Talvez, a arrogância, a prepotência e a mesquinharia esteja levando o Anilado para o fundo do poço. O Novo Hamburgo é da comunidade. O Novo Hamburgo é dos seus torcedores, não importando se são cem, duzentos, quinhentos, mil, dois mil ou cem mil. O Novo Hamburgo é de todos eles. Portanto, ninguém é dono do clube!

Dentro de campo, o time não encaixou. Os jogadores contratados não corresponderam. O vice de futebol Everton Cury afirmou que o time parece não ter alma. Time frio. Não sei se é isso. Não podemos responsabilizar completamente o técnico Beto Campos. Eu, no lugar dele, já teria saído. Talvez, nem teria voltado. Mas, conheço o Beto Campos, ele não é do tipo profissional que foge dos problemas como muitos por aí. Não esqueçam: Beto Campos deu o maior título da história do Novo Hamburgo. 

A queda para a Divisão de Acesso ainda não aconteceu, por isso, não podemos pensar no futuro. O que resta, agora, é torcer, confiar,  e acreditar em dias melhores. Estamos à espera de um milagre? Não sei.